Individualização de Água em Condomínio Ultrapassa 40% de Economia

Publicado por Emilio Martins em

Individualização de Água: a economia chega a ultrapassar a 40%

Economia e sustentabilidade, dois itens fundamentais que você ganha com a individualização de água

            Água individualizada = conta justa + medida certa para economizar. Não é matemática. Mas a fórmula é simples assim e se encaixa no mundo moderno, de sustentabilidade ambiental e com grande preocupação do uso sem limites dos recursos hídricos. A Lei Federal 13.312/2016  estabelece um prazo de cinco anos, para que as novas edificações incluam, entre outros procedimentos, a medição individualizada do consumo hídrico por unidade imobiliária.

            “A grande diferença agora é que existe um limite pra isso. As construtoras entregavam a infraestrutura pronta e os condôminos, depois que recebiam os imóveis, não levavam de imediato o assunto para a assembleia. 

             Até 2021, será obrigatório individualizar o consumo. É justo que o morador pague pelo que ele gasta”, explica Roberto Fagundes, empresário da Techmetria, pioneira e líder no segmento da medição individualizada em cinco Estados (AL, PE, PB, RN e CE).

              Em estudo do Instituto Trata Brasil (2010), intitulado de “Perdas de água: entraves ao avanço do saneamento básico e riscos de agravamento à escassez hídrica no Brasil”, ficou constatado que as perdas de faturamento das empresas operadoras com vazamentos, roubos e ligações clandestinas, falta de medição ou medições incorretas no consumo de água, alcançaram, na média nacional 37,5 %. 

              A boa notícia é que a água individualizada pode ser implantada em todos os tipos de edifícios. Nos prédios novos, preparados para medição individualizada (com shaft), basta colocar um hidrômetro em cada apartamento, os custos são baixos e a instalação é rápida, em torno de 20 minutos. Em edificações antigas, é necessária a análise das unidades e também da área comum para elaboração do projeto de adaptação. 

             Vantagens – Tecnologia: com a medição remota, a telemetria, não é necessária a presença de um leiturista para registrar o consumo. “No Nordeste já são mais de 30 mil pontos de telemedição instalados entre medidores de água, gás e também energia”, assegura Fagundes.

Os cálculos demonstram que a economia pode ultrapassar a casa dos 40%. Como relata a síndica Giani Aziz, a economia caiu para menos da metade; uma despesa mensal que era acima de R$ 9.000,00 com água e rateio injusto. Em dois anos, o condomínio economizou mais de R$ 100.000,00.

           Fonte: encurtador.com.br/zAHJT

Edição: Emilio Berbari Martins

Gostou? Tem alguma dúvida? Tem interesse em recomendar ou fazer no seu condomínio?

Teremos o prazer em atendê-lo: relacionamento@marsaneng.com.br


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.